CineASSP – Fevereiro e Março

Cinema na Milheira em fevereiro – Les Choristes. Os Coristas, de Christopher Barratier e em março o filme Áustrália,

CINEASSP marçoCINEASSP_fev13

Anúncios

Roda de Leituras – Fevereiro

Na próxima segunda-feira dia 18 de fevereiro, às 15h, terá lugar na sede da Delegação de Évora mais uma sessão de Roda de Leituras. Este mês, partilham-se leituras  e emoções do  livro de Jorge Amado – Os capitães da Areia”. Desejamos uma roda cada vez maior, com olhares diferentes que enriquecem esta Roda mensal de Leituras.

Rodas de Leitura- Fev (1)

Escrita Criativa – Textos III

3 – Texto sobre um multimilionário que quer comprar o templo romano…

“Xang adora a sua mulher Xing, quase uma figura de porcelana, tão harmoniosos são os seus traços e tão delicada a sua pele. Os seus olhos meigos enfeitiçaram-no. Por isso, deseja levar-lhe uma prenda que a possa surpreender. Viajou pela Europa e só em Évora encontrou a prenda digna do seu amor. O Templo Romano, símbolo de Perenidade, seria a prova desse amor eterno. O monumento emblemático da cidade seria cuidadosamente desmontado e transportado até à terras do Império e pelo qual estava disposto a pagar uma quantia fabulosa. O Governo Português afirmou que não podia recusar tal oferta em tempos de crise. Só o povo ficou triste perante a possibilidade de ficar sem a sua mascote.”

 

“Era uma vez um multimilionário vindo das arábias, carregado de petrodólares, que desembarcou em Évora.

Ao passear-se pela “cidade património”, deu de caras com as ruínas de um Templo romano edificado sobre uma cidade árabe – ao que julgou.

        – Que afronta! – disse para os seus botões. – não querem ver que foram tapar a glória dos meus antepassados com uma série de colunas que já serviram de talho?!

Vou comprar estas ruínas e arrancá-las. Assim permitirei que a Europa e o Mundo observem as belezas da civilização  a que pertenço.

As colunas levá-las-ei para o Dobai e mostrarei a todos a pequenez das “grandezas” europeias.

Viva o profeta! ”

 

“O telefone tocou. Na majestosa sala da Presidência da República, o Presidente despertou em sobressalto … Não era Passos Coelho, actual Primeiro Ministro, pelo que até se alegrou.

Quando o Presidente ouviu um “Hello!” vindo do Qatar, sendo saudado pelo Príncipe reinante, um sorriso inundou-lhe o rosto e, atento, após respeitoso cumprimento, ouviu a proposta: “Senhor Presidente, ao saber das dificuldades que o povo português experimenta, pensei que talvez fosse uma ideia nobre… adquirir o Templo Romano, em ruínas desde há séculos! Nele podíamos criar um complexo polivalente, onde todos pudessem usufruir de arte , cultura, entretenimentos vários, obter apoio social e, acima de tudo, conseguir emprego para todos!!…” 

 

Escrita criativa – textos II – Irei a Évora…

2 – Pequeno texto começado pela frase “Irei a Évora” 

Irei a Évora hoje e sempre

O que não me surpreende

Pois nela encontrei o amor,

A alegria e, até, a dor!

Pelas ruas estreitas

Irei recordar e vivenciar

Estórias de um passado

Rico, tesouro bem guardado!

Em cada pedra da calçada

A história de outros povos revelada

Gravei na mente

E partilharei contente…

Irei a Évora, visitar-me.

Irei a Évora procurar os momentos que deixei à luz das colunas do Templo, sob o sol azul e único.

Irei a Évora reencontrar os laços que teci com fios de amizade e ternura.

Irei a Évora aconchegar-me no calor do lume ardente das lajes da Sé.

Irei a Évora olhar atónita no Geraldo, à terça-feira, as sombras desenhadas pelos vendedores de gado.

Irei a Évora rever o luar a incidir nas ruelas interditas inundadas de tabus.

Irei a Évora sempre!”

“Irei a Évora…
pagar uma promessa antiga, ouvir os sinos da catedral gótica
sentir o cheiro dos bolos da “Violeta” subir a acrópole da polis
demorar na montra da drogaria azul
cumprimentar o Beato Balou
fotografar os meninos da Graça tirara uma fotografia a “la minuta” no Jardim Público
tomar uma refeição vegetariana na casa da Maria Inácia
Irei a Évora…
talvez no próximo Solstício do Verão”

“Irei a Évora onde vivi tempos esperançosos e outros bem amargos. Esperam-me os espaços sombrios das igrejas mas também as praças luminosas por onde correm pequenos rios de gente vagarosa. Avistarei a planície dourada e irei ao encontro da minha saudade. “

Conferência “Centro Histórico de Évora – Um olhar sobre as questões sociais”

Uma conhecedora profunda do Centro Histórico de Évora, a Drª. Manuela Oliveira partilhou a sua reflexão, dando uma panorâmica geral da cidade intra-muros e da sua especificidade enquanto centro residencial, de comércio, e de serviços, classificado como Património da Humanidade. Partilhou também as suas inquietações quanto aos problemas de despovoamento, encerramento de comércio e descentralização de serviços, que se têm vindo a sentir. Com uma sala cheia e interessada, a conversa final serviu para todos os presentes, que gostam tanto desta sua cidade, poderem manifestar preocupações mas também desejos de que sejam diminuídas seriamente as inevitabilidades do presente.

P1310131 P1310141 P1310146