Momento Poético com Alejandro Bruzual – poeta venezuelano – imagens e poesia

A sessão de poesia com o poeta Alejandro Bruzual, por altura do  lançamento  do seu livro de poesia,  Aldebarán e outros poemas, pela primeira vez traduzido em português por Eduarda de Sousa, decorreu com interesse. Com simplicidade falou da sua poesia, crescimento pessoal e partilhou a leitura com outros presentes que escutaram com atenção redobrada, quando a leitura se tornou bilingue.

Para maior conhecimento da vida e obra de Alejandro Bruzual .

Livro de poemas, impresso em Évora, por MILIDEIAS.

Livro de poemas, impresso em Évora, por MILIDEIAS.

O livro é composto por três conjuntos de poemas: “Aldebarán”, “Solidão de Barqueiro” e “Sulamita”.

11

Abandonado

No meio de dois tempos

Irreconciliáveis

Desagravando o rosto

De velhas ofensas

Nunca esquecidas

de todo

cheio de nostalgias

sem sentido

perguntas

quem trará

desta vez

as libações

para entrar na tarde

e beber amargura

baixandoa cabeça

sem revolta

sem maldizer

sequer

 III

Ninguém

passou

ao teu lado

ninguém

que tenha perdido

o mesmo

que eu

O desnecessário

Tu

Irreconhecível

Entre todos os perfumes da terra

Os teus olhos de ave

Habitam a palmeira do oásis

 Teus olhos nunca vindimados

???????????????????????????????Sessão de poesia com Alejandro Bruzual???????????????????????????????

Anúncios

Conferência -“Comunicação, linguagem e fala no processo de senescência”

A Drª.  Margarida Ramalho partilhou, com a assistência bastante interessada neste tema, o seu conhecimento e investigação sobre os problemas de comunicação e de linguagem no processo de envelhecimento. Possibilidades de intervenção com o objectivo de tomar consciência que podemos minorar ou retardar a perda de qualidade de vida.  Alertas para a necessidade e importância da atividade e socialização. 

DSC_0014 DSC_0019

Roda de Leituras – Fevereiro

Na próxima segunda-feira dia 18 de fevereiro, às 15h, terá lugar na sede da Delegação de Évora mais uma sessão de Roda de Leituras. Este mês, partilham-se leituras  e emoções do  livro de Jorge Amado – Os capitães da Areia”. Desejamos uma roda cada vez maior, com olhares diferentes que enriquecem esta Roda mensal de Leituras.

Rodas de Leitura- Fev (1)

Escrita Criativa – Textos III

3 – Texto sobre um multimilionário que quer comprar o templo romano…

“Xang adora a sua mulher Xing, quase uma figura de porcelana, tão harmoniosos são os seus traços e tão delicada a sua pele. Os seus olhos meigos enfeitiçaram-no. Por isso, deseja levar-lhe uma prenda que a possa surpreender. Viajou pela Europa e só em Évora encontrou a prenda digna do seu amor. O Templo Romano, símbolo de Perenidade, seria a prova desse amor eterno. O monumento emblemático da cidade seria cuidadosamente desmontado e transportado até à terras do Império e pelo qual estava disposto a pagar uma quantia fabulosa. O Governo Português afirmou que não podia recusar tal oferta em tempos de crise. Só o povo ficou triste perante a possibilidade de ficar sem a sua mascote.”

 

“Era uma vez um multimilionário vindo das arábias, carregado de petrodólares, que desembarcou em Évora.

Ao passear-se pela “cidade património”, deu de caras com as ruínas de um Templo romano edificado sobre uma cidade árabe – ao que julgou.

        – Que afronta! – disse para os seus botões. – não querem ver que foram tapar a glória dos meus antepassados com uma série de colunas que já serviram de talho?!

Vou comprar estas ruínas e arrancá-las. Assim permitirei que a Europa e o Mundo observem as belezas da civilização  a que pertenço.

As colunas levá-las-ei para o Dobai e mostrarei a todos a pequenez das “grandezas” europeias.

Viva o profeta! ”

 

“O telefone tocou. Na majestosa sala da Presidência da República, o Presidente despertou em sobressalto … Não era Passos Coelho, actual Primeiro Ministro, pelo que até se alegrou.

Quando o Presidente ouviu um “Hello!” vindo do Qatar, sendo saudado pelo Príncipe reinante, um sorriso inundou-lhe o rosto e, atento, após respeitoso cumprimento, ouviu a proposta: “Senhor Presidente, ao saber das dificuldades que o povo português experimenta, pensei que talvez fosse uma ideia nobre… adquirir o Templo Romano, em ruínas desde há séculos! Nele podíamos criar um complexo polivalente, onde todos pudessem usufruir de arte , cultura, entretenimentos vários, obter apoio social e, acima de tudo, conseguir emprego para todos!!…” 

 

Escrita criativa – textos II – Irei a Évora…

2 – Pequeno texto começado pela frase “Irei a Évora” 

Irei a Évora hoje e sempre

O que não me surpreende

Pois nela encontrei o amor,

A alegria e, até, a dor!

Pelas ruas estreitas

Irei recordar e vivenciar

Estórias de um passado

Rico, tesouro bem guardado!

Em cada pedra da calçada

A história de outros povos revelada

Gravei na mente

E partilharei contente…

Irei a Évora, visitar-me.

Irei a Évora procurar os momentos que deixei à luz das colunas do Templo, sob o sol azul e único.

Irei a Évora reencontrar os laços que teci com fios de amizade e ternura.

Irei a Évora aconchegar-me no calor do lume ardente das lajes da Sé.

Irei a Évora olhar atónita no Geraldo, à terça-feira, as sombras desenhadas pelos vendedores de gado.

Irei a Évora rever o luar a incidir nas ruelas interditas inundadas de tabus.

Irei a Évora sempre!”

“Irei a Évora…
pagar uma promessa antiga, ouvir os sinos da catedral gótica
sentir o cheiro dos bolos da “Violeta” subir a acrópole da polis
demorar na montra da drogaria azul
cumprimentar o Beato Balou
fotografar os meninos da Graça tirara uma fotografia a “la minuta” no Jardim Público
tomar uma refeição vegetariana na casa da Maria Inácia
Irei a Évora…
talvez no próximo Solstício do Verão”

“Irei a Évora onde vivi tempos esperançosos e outros bem amargos. Esperam-me os espaços sombrios das igrejas mas também as praças luminosas por onde correm pequenos rios de gente vagarosa. Avistarei a planície dourada e irei ao encontro da minha saudade. “

Conferência de janeiro – “Centro histórico de Évora – um olhar sobre as questões sociais”

A conferência de janeiro vai ser apresentada pela Drª. Maria Manuela Oliveira, que foi Diretora do Centro Histórico de Évora,  e tem como tema “um olhar sobre as questões sociais”.Vale a pena descobrir a cidade através de um olhar aprofundado e conhecedor. Terça-feira, dia 29, 18h00.

Centro Histórico de Évora Um olhar sobre as questões sociais-Email